Aliado a obras estruturantes, Trabalho Social promove desenvolvimento e mais qualidade de vida

Foto: Marcelle Cristinne/Secom
O Projeto de Trabalho Social (PTS) é um conjunto de ações socioeducativas voltadas para a organização e o desenvolvimento comunitário e principalmente à promoção da melhoria da qualidade de vida da população de um determinado território. É sob esse conceito que a Prefeitura de Aracaju, por meio da Secretaria Municipal da Assistência Social, realiza o PTS junto às famílias afetadas direta e indiretamente pelas obras que executa na cidade.

Para toda obra de infraestrutura financiada, seja pela Caixa Econômica Federal (CEF) ou por outros órgãos financiadores, como o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) ou Novo Banco de Desenvolvimento (NBD), o chamado banco dos Brics, existe uma exigência para que seja realizado um trabalho social que caminhe junto à obra. Assim, as famílias do Recanto da Paz, no bairro Aeroporto, e a comunidade do Residencial Mangabeiras Irmã Dulce dos Pobres, no bairro 17 de Março, veem a transformação de suas comunidades em meio às obras de melhorias promovidas pela gestão municipal.

“Todo esse conjunto de obras que vem acontecendo, seja no Recanto da Paz, seja nas Mangabeiras, proporciona uma série de benefícios que irão elevar o status para aquele território. Levamos também uma gama de serviços como cursos profissionalizantes, serviços de cidadania, com discussões, oficinas, a partir do que a equipe social vai identificando naquele território, para proporcionar um desenvolvimento socioeconômico. Os serviços são realizados com a comunidade através das empresas contratadas sob a supervisão das técnicas de referência”, explica a diretora de Gestão Social da Habitação e Políticas de Transferência de Renda da Secretaria da Assistência Social de Aracaju, Rosária Rabelo.

A diretora completa ainda que nas duas comunidades são realizadas obras com dimensões diferentes: enquanto em uma se trabalha com o reordenamento estrutural da comunidade, na outra localidade é feito um reassentamento onde estão sendo construídas unidades habitacionais.

“No Recanto da Paz, a Prefeitura realiza uma obra de infraestrutura no território que contempla implantação de drenagem, esgotamento sanitário, pavimentação das ruas, além da construção de uma praça no sentido de reorganizar a localidade. Já no Residencial Mangabeiras a obra é mais complexa por ser uma questão de realocar famílias que moravam em barracos, para morar em unidades habitacionais construídas pela Prefeitura, é um projeto bem maior, é algo que trabalha o fortalecimento de vínculos comunitários e também pessoais”, disse.

PTS Mangabeiras

A gestão municipal investe cerca de R$ 124 milhões para construção do residencial Mangabeiras Irmã Dulce dos Pobres, com recursos do Programa Pró-Moradia, do Governo Federal. Ao total são R$ 116,7 milhões oriundos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), com contrapartida do município de R$ 7,9 milhões, destinada para o Aluguel Social, a Prefeitura de Aracaju por meio da Secretaria Municipal da Assistência Social cumpre uma exigência do Governo Federal em projetos de habitação de interesse social.

Psicóloga e técnica de referência do PTS Mangabeiras, Geisa Lima explica que o trabalho realizado na comunidade acontece desde a concepção do projeto e dos termos de referência, passando pelo processo de licitação para aprovação da empresa que realiza especificamente esse trabalho.

“A perspectiva de qualquer PTS é atender o público-alvo [Mangabeiras] e as comunidades circunvizinhas, e vemos que ao participar dos cursos, oficinas e palestras, com temáticas ligadas aos três eixos que conduzem o projeto – Mobilização, Organização e Fortalecimento Social; o de Educação Ambiental e Patrimonial; e o de Desenvolvimento Socioeconômico -, as pessoas saem com outra visão de vida profissional e pessoal”, diz.

Geisa destaca que é realizado “um acompanhamento semanal de tudo para que essas famílias tenham um salto na qualidade de vida”. “Nós vamos até ao local acompanhar os projetos, verificar se tudo está transcorrendo como foi licitado e qualquer alteração necessária deverá passar por a gente. Quando os relatórios chegam para a gente, analisamos ,fazemos as devidas correções e enviamos para o setor da prefeitura, que é responsável pelo levantamento e por fazer o pagamento e posteriormente ser enviado à caixa para aprovação final”, pontuou.

PTS Recanto da Paz

Desde 2023, a comunidade localizada no bairro Aeroporto vem passando por obras no valor de R$ 30 milhões, que irão mudar para melhor as condições de moradia. Paralelo às obras, a empresa responsável pelo PTS realiza palestra, cursos, oficinas e passeio a pontos turísticos da capital, com o objetivo de despertar nos moradores o interesse por alguma área de atuação profissional.

“O projeto social caminha junto à obra, não tem obra sem social. Então, a gente tenta levar o desenvolvimento para a comunidade e melhoria de vida também para todos daquele território. Com todo esse conjunto de melhorias, nós esperamos que seja uma comunidade diferente depois que acabar a obra, depois que acabar o projeto, e que ela cuide da sua área de moradia com mais zelo, com mais carinho, com mais propriedade, porque será um local diferente, melhor”, detalhou a assistente social e técnica de referência do PTS Recanto da Paz, Alessandra Silva.

A técnica de referência ressalta ainda que, além de todo o trabalho realizado dentro dos eixos propostos ao PTS, existe a formação de uma comissão que acompanha de perto todo o processo da obra com a participação de representantes da comunidade e dos órgãos envolvidos. “Para facilitar o entendimento e a relação entre obra e moradores, existe a Comissão de Acompanhamento da Obra (CAO), que é composta por moradores da comunidade e dessa maneira facilita o entendimento da comunidade junto com a obra, eles acompanham de perto e podem fazer perguntas e saber o que está acontecendo, o que vai acontecer, tirar dúvidas se aconteceu alguma coisa com a sua casa, é um trabalho onde a comunidade é escutada”, conclui.

 

Publicado em: 21/03/2024